A Minha Rádio Podcast: Cowboy Cantor

segunda-feira, fevereiro 28, 2005

Culpa Própria

Aquela turma da Feteira Pequena é terrível. Primeiro que consiga calá-los para começar a aula, é o fim do mundo.
Hoje, depois de quase meia hora a conversar, tinha quase todos os alunos com atenção, quando, um dos mais calados, e já farto de tanto barulho sai-se com esta:
- Os meus colegas são muito malcriados. Nunca se calam. Estão sempre a falar. Nunca, nunca se calam…
Fitei-o com um olhar reprovador. Ele olhou em volta. Percebeu que estava tudo em silêncio e corou:
- E agora sou eu que estou a falar!

domingo, fevereiro 27, 2005

Perdidos Por Competência

Aqui, o Alexandre Pascoal queixa-se de já ter passado uma semana depois das eleições, e ainda existirem cartazes de exterior expostos na via pública referentes aos principais ex-candidatos. Ora, prevejo que estes cartazes durem mais alguns meses. Como está a acabar o Inverno, nem a chuva os poderá mover do sítio.
Esta situação fez-me lembrar uma que se passou com dois automobilistas portugueses em Espanha.
Ia haver uma prova de rallie, e o piloto mais o seu navegador, inteligentemente, foram fazer o reconhecimento de terreno no dia antes. Chegando a uma intersecção entre a estrada e um caminho de terra, para não se perderem, o navegador tomou a seguinte nota: “Virar à direita na entrada com um poste caído”.
No dia seguinte perderam-se. O poste já tinha sido levantado.

sexta-feira, fevereiro 25, 2005

Prioridades

Prioridades são as coisas que achamos que são mais importantes do que outras, e que por isso merecem principal preocupação. Por causa das prioridades de nove dos doze elementos que constituem o conselho de ilha da Graciosa, a reunião de ontem foi cancelada. Só apareceram três elementos. Muito se tem falado ao longo do dia na rádio. Afinal o que se terá passado?
Tenho andado a pensar. E só consigo chegar a uma conclusão. Com dois jogos de futebol importantes, para as equipas que nele participam, os nove elementos devem ter pensado: “Ah, vou ficar em casa a ver a bola. Depois pergunto como foi a reunião.”
É a política portuguesa.

p.s.- Alguém tem dúvidas que o segundo golo do Sporting foi um golo de raiva, marcado por um jogador que já não marcava há um ano, e que estava a jogar contra adeptos hooligans? Aquela bola deve ter dito em holandês: “Toma!”

quinta-feira, fevereiro 24, 2005

Inteligente é com o i

Os meus alunos que são espertos como o corisco.
Estava eu a soletrar uma palavra, numa aula da turma do 3º e 4º ano da Achadinha. Para não haver dúvidas, ia dizendo a letra, e uma palavra começada por a referida letra:
-"I" de inteligente...- disse eu, e reforcei:
-... que é o que eu tento fazer de vocês.
Responde matreira, uma aluna do 4º ano, de 9 anos:
- E nem assim somos.

segunda-feira, fevereiro 21, 2005

Há Sempre Alguém

Há uma pessoa incansável nas leituras dos textos que saem cá de casa. Incansável nas críticas, e nas correcções gramaticais e ortográficas.
Na minha reflexão sobre as eleições de ontem havia duas gafes. Uma por distracção, outra por esquecimento. Ao referir-me a um governo buçal, obviamente que me referia a um governo boçal. Não é que a comparação entre o anterior governo e um gado em pastagem fosse completamente descabida, mas eu queria era mesmo dizer boçal. O esquecimento foi ter dito que "Ana Drago não alheia a esta subida". Ora faltava aqui um "é". De qualquer forma, até emendei a frase toda.
Um abraço Sérgio.

A Voz é do Povo

Depois deste processo todo que implicou a eleição de um novo governo para Portugal, fica-me na memória uma afirmação de Paulo Portas proferida ainda antes da pré-campanha. Numa entrevista, Paulo Portas afirmou que iria fazer uma campanha limpa, iria voltar ao governo e mostraria que a esquerda não tem razão. Não é que o homem falhou completamente.
Se alguém acha que a campanha do PP foi limpa, terá de arranjar muitos argumentos para me convencer disto. Se alguém me disser que o PP vai voltar ao governo, eu pergunto: em que país?Quanto à última questão, até pode ser que a esquerda não tenha razão, mas o povo não se costuma enganar. Resultados como os de ontem não podem ser um engano, mas sim uma vontade convicta de um país que precisa de ser ressuscitado. De enganos estamos todos fartos. Enganos que provocam contradições, ou enganos que não são mais do que mentiras atiradas à cara de Portugal.
Se a direita quiser voltar a ter uma voz audível nos destinos do país, terá de repensar toda a sua estratégia política. Não me estou a referir aos ideais. A direita terá de se desmanchar, para se voltar a compor, permitindo se tornar numa facção política válida.
Expressámos uma vontade. E esta vontade é um grito de basta. Basta de tentar transformar Portugal numa feira montada à porta de uma discoteca.
Não sou contra governos de direita. Mas tem de ser um governo com sentido de estado, e responsabilidade política. Não pode ser um governo boçal, desleixado e desarticulado.
A direita ontem foi mais derrotada, do que o PS foi vencedor. O PSD e o CDS/PP não conseguiram atingir os objectivos a que se propunham.
Sócrates foi obviamente o grande vencedor da noite. Desejou, prometeu e cumpriu. A maioria absoluta é toda dele. Agora tem um compromisso para com Portugal. Com uma maioria absoluta no parlamento, José Sócrates, e o PS, terão mais facilidade e estabilidade, do que o último governo socialista
O PCP mostrou que ainda não morreu. Está vivo, embora cansado. Mas vivo. Isto conta. Uma voz viva, e activa, embora cansada, é sempre bem vinda, e é uma ajuda que não se pode dispensar.
Quanto ao BE, apesar não ter contado com o meu voto, fico muito satisfeito com a grande subida de votantes e deputados para o Bloco. É uma grande vitória para Francisco Louçã e Miguel Portas. Ana Drago também não pode ser esquecida nesta subida bloquista.
A CDU e o BE mostraram durante a campanha que se Sócrates quiser, terá neles um associado político, que permita ao futuro governo desenvolver o seu programa eleitoral de uma forma fácil e que seja benéfica para Portugal.
Não se espera milagres, mas sim um novo rumo que nos permita ganhar alguma esperança para, que algum dia Portugal entre na rota das grandes nações europeias.
Viva Portugal? Vamos ver.

sábado, fevereiro 19, 2005

O Voto Útil

Este texto surge na sequência de um texto publicado no :Ilhas. O Carlos Riley tornou pública a sua intenção de voto, o qual vai ser em branco. Nos comentários, Nuno Barata, cabeça de lista por um dos partidos às eleições de amanhã, acha que o voto em branco é inútil. Alguém contra-argumentou que é um voto útil.
E eu acho o seguinte: A abstenção quer dizer que o povo está a passar à margem de todo o movimento político do país. Um voto num partido quer dizer que o povo reconhece numa lista o seu rosto e a sua voz no Parlamento.
Um voto em branco significa que a classe política tem que melhorar. Ou seja, um voto em branco é muito útil, pois deveria incentivar os políticos a mudar as suas estratégias, pelo menos durante as campanhas. Mudar as pessoas que compõem as suas listas e os seus governos. Um voto em branco é uma forma de as pessoas dizerem que estão vivas. Querem uma vida melhor, mas acreditam que nenhuns dos candidatos às eleições são a melhor solução.
Não estou a apelar ao voto em branco, nem ao voto num partido qualquer. Muito menos apelo à abstenção. Apenas acho que é altura nós não sermos tão radicais e destruidores, nas análises que fazemos em relação às intenções de votos que não são iguais às nossas.
Um voto, seja na esquerda radical, na direita radical, no centro-esquerda, no centro-direita ou numa coligação, é sempre um voto. Um voto em branco é um voto que conta também. Se não contasse, não entraria na contagem dos votos em branco, mas sim na contagem dos votos nulos, ou na contagem das abstenções.
Eu apelo ao voto. Em branco, a preto, às cores, com bonecos, sem bonecos. Como quiserem. O importante é que não fiquemos em casa.

Reflexos

Depois de um fim-de-semana que se prolongou por um mês, no que diz respeito ao Danialice e ao Cowboy Cantor, tinha planeado o regresso para hoje.
Acontece que quando acordei, reparei que tinha o espelho partido. Partiu-se com tantas pedras que foram atiradas ao ar durante esta campanha. E como hoje é dia de reflexão, preciso de arranjá-lo imediatamente, para reflectir bem.
Não vá o Diabo tecê-las, e terei, ou teremos, sete anos de azar a partir de amanhã.

quinta-feira, fevereiro 03, 2005

Fim de Semana

Danialice e Cowboy Cantor vão de férias. O regresso à terra mãe será no dia 9. Um bom Carnaval a todos. E já agora, para aqueles que também vão aproveitar para fugir, boas férias.

terça-feira, fevereiro 01, 2005

Pequeno Divertimento

Por vezes aprendemos coisas insignificantes, que nunca mais as esqueceremos.
Hoje na minha acção de formação aprendi isto: abram um documento em branco no Word, escrevam
“=rand(6,4)”, sem as aspas, e primam enter.Isto não serve para nada, mas há tantas outras coisas na vida que não servem para nada, e existem.