A Minha Rádio Podcast: Cowboy Cantor

sexta-feira, abril 22, 2005

Emoções de um Professor

Há dois dias atrás, no Foguetabraze, um debate a respeito das novas férias judiciais em Portugal, desencadeou uma conversa paralela a respeito do ser ou não ser um professor realizado.
Hoje cheguei a casa com a certeza de que sou um professor realizado. Hoje foi assim, Terça-feira talvez chegue a casa triste com a minha vida profissional.
Um professor tem de se sentir realizado quando começa uma aula a jogar à bola com os alunos, e acaba a aula a olhar para um grupo de crianças que vai dos 4 aos 10, a cantar “O Povo é quem mais ordena”, “em cada esquina um amigo, em cada rosto igualdade”. Foram estas mesmas crianças que saíram da sala a gritar, de braços no ar:
- 25 de Abril, SEMPRE! 25 de Abril, SEMPRE!
Ainda ontem, depois de uma contextualização histórica resumida, estive a cantar com os meus alunos a canção da gaivota que voava, voava. A mesma que fala da papoila que crescia, crescia, e da criança que não queria combater. A mesma que grita palavras de ordem como “somos livres, não voltaremos atrás”.
Senti-me realizado, porque depois de acabar de cantar, uma aluna perguntou-me, com o ar de quem sabia mesmo o que estava a dizer:
- Oh professor, se isto fosse antigamente, o professor ia preso, não ia?
Hoje, cheguei a casa com a sensação que certos alunos meus serão os homens que a liberdade de Abril de 74 prometeu ao país. Cheguei a casa com a sensação que por mim, e pelos meus alunos, 25 de Abril será sempre.

6 comentários:

Nuno Barata disse...

Espero é que eles saibam também o que foi o 25 de Novembro.

Rodrigo de Sá disse...

Também. Alguns ainda tentaram fazer a comparação, mas eu tentei explicar que havia diferenças.

Rodrigo de Sá disse...

Desculpa, confundi as datas. Eles pergutaram foi pela revolução que houve nos Açores. Claro que estavam a falar do 6 de Junho.

Anónimo disse...

Rodrigo esqusava de pôr as pessoas com os olhos húmidos...

E olhe que isso de Liberdade é tão ou mais perigoso do que certas seguranças...

Por exemplo, crava camarada Cunhal manda os ficheiros da ditadura cessante para o paraíso burrocrático da URSS... Quase que entramos numa, bem pior

Foi em 1975 - data por data - que, acho, as coisas acharam o seu equilíbrio e a sua razão.
Daí o "fogo", benéfico, que foi em teu "abraço"...

Edgardo

Rodrigo de Sá disse...

A minha memória não chega a tanto. Lembor-me bem do dia que nasci, mas o que veio antes não sei muito bem. Só sei aquilo que me contam e que investigo.

frosado disse...

Pois é Rodrigo, é preciso não esquecer que, também, tirou os presos políticos da cadeia, acabou com a injusta é stúpida guera colonial, etc, etc. Aqueles que falam contra o 25 de Abril, eram os privilegiados do regime do 24 de Abril, mas felizmente são o passado.