A Minha Rádio Podcast: Cowboy Cantor

segunda-feira, novembro 19, 2007

Cover: Já Sei que Raio de Palavra é Esta

Nada como pensar, discutir, debater e reflectir. Sou homem de reagir a quente em certas situações. Homem de impulsos.
Depois de ter publicado o texto “Música Cover: Que Raio de Palavra é Essa?”, e de ter recebido uma resposta do João Nuno, conhecido nas lides bloguísticas como o JNAS, estive a pensar no sentido da palavra e o porquê da sua utilização a propósito de um artista que interpreta uma canção que não é sua, numa versão diferente. E realmente, “cover”, apesar da ser uma palavra inglesa, adequa-se.
Porquê? Agora, vou eu fazer o outro papel. O de advogado de defesa.
Se pensarmos num jornalista que vai cobrir um acontecimento, por mais objectivo que seja, a cobertura do acontecimento acaba sempre por ser uma versão própria.
Portanto, em português “cobertura”, “cobrir”. Em inglês, “cover”, “to cover”.
Sim, eu admito: não sabia mais do que estes adultos, por exemplo, mas agora sei.
Continuo a preferir a usar palavra portuguesa “versão”, mas já não vou achar assim tão estranho quando alguém se referir ao que Freddy Mercury fez com “The Great Pretender” como sendo uma “cover” (lembrei-me deste, porque na próxima Quinta- Feira, dia 22 vai fazer 16 anos que morreu. Não é verdade, Sérgio?).
A propósito, aquilo que os Black Eyed Pees fizeram em "Pump It", não é uma versão, ou "cover". É um crime público. É o assassínio do grande clássico que é "Misirlou".

7 comentários:

Sérgio disse...

Não Rodrigo, não é verdade. Não será na próxima quinta-feira, dia 22, mas sim no Sábado, dia 24, que o Freddie (assim mesmo, com "ie" e não "y" - desculpa, mas esta não podia deixar passar) irá fazer 16 anos que faleceu. Mas "The Show Must Go On"!
Aquele abraço,
Sérgio

Rodrigo de Sá disse...

Bem quanto à data, deve ter sido mesmo um engano. Obrigado pela emenda. Agora, quanto ao "y", em qualquer parte do mundo eu iria escrever "ie", menos se fosse numa escapadinha ao departamento num intervalo entre duas turmas do pior das redondezas.
Abraço

Rodrigo de Sá disse...

Ou seja, escrevi o texto "Under Pressure".

Sérgio disse...

"Soul brother", "You don't fool me"! "Don't try so hard" em "Doing all right". "It's a hard life" mas "Is this the world we created"!
Ass: "Good Old Fashioned Lover Boy"

Anónimo disse...

...
Meu Caro Rodrigo,
ele há coisas que têm melhor som no original, como é o caso do vocábulo "covers". Já imaginou o meu amigo traduzir para a língua de Camões o alter-ego Cowboy Cantor...não liga bem apesar de no original soar muito bem. Quanto às "covers" não deu para alinhar outras duas de antologia : "Comfortably Numb" pelos Scissorsisters e "Personal Jesus" pelos Marilyn Manson !!!
Saudações "blogueiras".
JNAS

Rodrigo de Sá disse...

Ao Sérgio: que linda raposódia boémia que acabaste de criar.
Ao JNAS (um dos poucos anónimos que se identificam): O meu alter-ego em inglês seria uma coisa como "Singer Cowboy", ou "The Boy Who Sings and Has Cows".
Já agora: "Stripped" pelos Ramstein.

Anónimo disse...

Valorizemos então a língua portuguesa....