A Minha Rádio Podcast: Cowboy Cantor

segunda-feira, setembro 29, 2008

Às Voltas na Cidade

Há muito tempo que ando para falar sobre o assunto, mas como não sou especialista na matéria, não sou assim tão venho para poder fazer comparações, achava que não iria ter muita razão no protesto. Depois de ler várias outras pessoas, pelas quais tenho respeito, chego à conclusão que afinal também tenho direito ao protesto, e com razão.
Sou mais um a juntar-me ao protesto. Serei mais um. Sei que não irá fazer diferença, mas serei mais um tornar público o meu descontentamento com as trapalhadas das obras em toda a cidade de Ponta Delgada.
Também me lembro que as obras faziam-se devagar, mas cada uma na sua vez. As estradas eram construídas, reconstruídas ou reparadas por fases. Hoje, parece que só a primeira condição se mantém. Devagar, devagar, parado constrói-se e reconstrói-se tudo ao mesmo tempo. “É para mostrar obra”, ouve-se da boca de alguns. Neste caso, mostra-se muita obra. “É para ganhar votos”, ouve-se de outro lado. Neste caso, não são estas obras que me compram os votos. Há 4 anos que passaram que foram muito mais importantes do que uma projecto de última hora para a reabilitação da organização do trânsito em Ponta Delgada.
Mas ninguém se lembrou antes de fazer estas obras. Com mais calma e mais organização?
Acima de tudo, estas obras à pressão, sem organização e que causam imenso transtorno a toda a gente, durante o dia todo, a mim mostram-me falta de responsabilidade. Sim é verdade que quando tudo acabar teremos uma circulação ainda mais fácil em Ponta Delgada, mas até lá a gente geme e sofre.
De manhã vou pela direita, à tarde tenho de vir pela esquerda. Faltou o gás, tenho de voltar a sair à noite para trocar a garrafa. Já nem pela direita, nem pela esquerda. Não vou por lado nenhum. Tenho de dar a volta.
A ver no dia 19 por onde vou, se pela esquerda, se pela direita ou se tenho de dar a volta.

nota: só para os mais distraídos, o Danialice só voltou hoje, mas o Cowboy Cantor já está de volta há duas semanas.

Sem comentários: