A Minha Rádio Podcast: Cowboy Cantor

quarta-feira, outubro 14, 2009

Quando se perde não há líder.

Não é fora do comum ouvir-se falar na fraca participação política da população mais jovem.
O incentivo para esta participação deverá vir de cima, e um cidadão qualquer, com0 à partida já não tem muito interesse em ir votar, quando confrontado com certas situações, menos vontade tem de aparecer no local de votos.
Quando há quinze dias o P.S. ganhou as eleições legislativas, perdendo votos e deputados em relação há quatro anos, a presidente do P.S.D. regional referiu que os resultados revelam que o presidente do P.S. regional já não era uma mais valia para os Açores.
Quinze dias depois, inverte-se a situação. O P.S.D. perde claramente as autárquicas. Apanha grandes surpresas. Tem um noite de pesadelo. A presidente da Câmara de Ponta Delgada reeleita, Berta Cabral aparece com ar vitorioso. Não fala da sua condição de líder de um partido que acaba de perder as eleições, e prefere falar apenas na condição de vencedora do concelho de Ponta Delgada.
Um líder é sempre um líder. Se se perde, ou se ganha, um líder tem de estar lá. Nos bons e maus momentos.
O Povo já não é tão parvo como era. Os jovens, aqueles que vão à Green Party, passam as noites de Verão no Campo de São Francisco, e tudo mais, não andam a leste destas situações.
Exige-se mais responsabilidade e coerência na forma como os políticos abordam as questões do dia-a-dia.

Esta semana a 69ª emissão do Cowboy Cantor: uma curiosa emissão

Transferência do mp3 desta emissão aqui (mp3 30,6 mb/33’22’’)
Ouvir no Danialice
Ouvir no iTunes
Informações Cowboy Cantor

4 comentários:

MaesDoc disse...

Quando se perde é que se pode ver a fibra de um lider. Até porque quando se perde, na politica ainda mais, poucos amigos sobram, ou crescem.
E é-se ainda mais derrotado quando se procura , de imediato, ver as culpas da derrota nos outros , ou como essa Berta tapar o sol com a peneira bem esburacada.
Boa análise a tua rodrigo

Um abraço

Manel

MaesDoc disse...

Rodrigo, claro.

Daniel disse...

MaesDoc
Não é a maiúsucla que faz as pessoas. Nem assim a BERTA fica grande coisa. Sobretudo analisada pelo que disse na noite das autárquicas.

Rodrigo de Sá disse...

Camarada Manel,
(Permite-me tratar-te assim, sem ideologias políticas associadas, mas apenas porque a amizade o impera),
Puxo para aqui a conversa do texto anterior.
Em última defesa, defendo o meu voto em branco porque à direita vejo Leite muito azedo e Portas empenadas.
À esquerda vejo a queda de valores familiares e sociais. Há Portas à esquerda que precisavam de ter várias fechaduras, e só se abrir algumas.
Para além do mais, votar num partido que se antevia fazer coligação com outro qualquer outro?
Como se viu, o único partido que perdeu as legislativas, afinal o que mais votos teve, ofereceu-se aos outros partidos como quem se vende na rua.
Quanto aos amigos da líder regional do P.S.D, engraçado que tem o mesmo nome da presidente reeleita da Câmara Municipal de Ponta Delgada, mas na noite das autárquicas esta duplicidade não se notou, não sei de nenhum amigo. Quer dizer, pelo menos nessa noite não vi, nem ouvi nenhum.