A Minha Rádio Podcast: Cowboy Cantor

domingo, novembro 01, 2009

António Sérgio

Interrompo as publicações semanais do Danialice por causa desta notícia:


Não me lembro quando foi a primeira vez que ouvi a voz do António Sérgio, nem me lembro também da primeira vez que o vi.
Depois de já ter lido muito sobre ele e muito ter ouvido falar dele, a primeira vez que o ouvi, sem saber que era o António Sérgio, pensei:
- Este é que deve ser o António Sérgio.

Não me tinha enganado. Estava de facto a ouvir um programa na rádio do António Sérgio. E digo um programa de António Sérgio, porque era ele que fazia os seus programas.
Contra as listas pré-definidas, ou automáticas, não escondo a minha admiração por este homem que a única forma que sabia fazer rádio era ser ele a escolher o som que se ouvia do outro lado do aparelho e fazia de cada momento radiofónico um momento de companhia. Afinal de contas, a rádio devia ser sempre assim.
Ao contrário do que é prática corrente nas rádios nacionais, e lamentavelmente, regionais, salvo raras e honráveis excepções, cada momento de rádio com António Sérgio era um momento para a descoberta de algo novo, e acima de tudo, a paixão de ouvir e música e rádio. Acima de tudo, sentia em António Sérgio um homem que gostava de fazer companhia.
Nada de carregar no auto-play, ou shuffle, e falar uma vez por hora para dizer as horas.
Se houve alguém que desafiou os portugueses, mas sobretudo o sistema, a começarem a ouvir rock e punk rock, foi António Sérgio.
Foi com ele que uns desconhecidos Xutos & Pontapés começaram a ser ouvidos nos inícios dos anos 80 na rádio portuguesa.
António Sérgio morreu, e com ele morre mais um dos meus ícones.

Durante esta semana, é imprescindível ouvir as últimas emissões já gravadas de António
Sérgio, que irão para o ar na Radar Lisboa (entre as 22:00 e as 24:00, hora dos Açores)

3 comentários:

Anónimo disse...

Por isso invejo quem vive longe de tudo, como se não houvesse mais mundo do que meia dúzia de vizinhos. Há muito menos gente por quemm chorar.
Daniel

Pedro Lopes disse...

Caro Rodrigo,

justa homenagem, a este nome maior da rádio em Portugal. Com ele descobri muitas grandes mas desconhecidas bandas. A sua voz ímpar e o seu estilo inconfundível, fizeram dele uma referência para muitos de nós.

Que descanse em paz....

Rodrigo de Sá disse...

Lá disse o poeta uma vez que é maldita a sorte de ter amigos e vê-los partir.

Pedro,
Bem-vindo ao Danialice.
Mantenho o Cowboy Cantor com aquele espírito do António Sérgio: o prazer de descobrir a música. Ele como outros (menos de uma mão cheia) sabia fazê-lo muito bem na rádio portuguesa.