A Minha Rádio Podcast: Cowboy Cantor

terça-feira, janeiro 17, 2012

Pré-aprovado com crédito ilimitado

Uma aluna de quinto ano, repetente, principalmente devido a uma assiduidade regular: Ou seja, vem dois dias, falta três. Durante 3 anos pertenceu a uma turma de oportunidade. Tem portanto, 14 anos. Idade e corpo desenvolvido, os outros, ainda com atitudes de 4ª classe, elegem-na como delegada de turma.
Conhecendo-a de outras paragens (as tais turmas de oportunidade) aviso o director de turma que não vai dar certo. Concordámos em dar o benefício da dúvida.
O estado a que as coisas chegaram foi este:
Inquieto por saber como foram recebidas as seis negativas que ela teve, pergunto como foi o Natal:
- Eu recebi uma Playstation portátil, um leitor de mp3 e um iPhone. Ah, e a minha madrinha ofereceu-me um jogo para PSP.
- Belas prendas. O teu pai deve ter ficado contente com as tuas notas.
- O meu pai? Ele não sabe das minhas notas.
Com efeito, já vamos na terceira semana de 2012 e a aluna continua a faltar com a tal regularidade e o pai ainda não sabe as notas.
Não se preocupem que em Junho ele aparece a perguntar como é possível a filha perder de novo.

sexta-feira, janeiro 06, 2012

6 de Janeiro de 2006


Eu sei que a maioria de vocês não tem nada a ver com isto, mas também sei que alguns do que por aqui costumam passar seguem com relativa atenção o Cowboy Cantor
No dia 6 de Janeiro de 2006 foi gravada e publicada a primeira emissão do podcast. Dias mais tarde fiquei a saber que era o primeiro podcast dos Açores. Hoje, segundo o que sei, continua a ser o único podcast açoriano de produção independente. Não estou a contar obviamente com algum podcast que faça parte de alguma rádio açoriana (que mesmo assim não abunda nem em quantidade, nem em regularidade). Devido ao Cowboy Cantor, sou também o único membro português na Association of Music Podcasting.
Pelas audições, sugestões, comentários e acompanhamento, um grande obrigado. É bom saber que estão do outro lado do Quarto Estúdio.

terça-feira, janeiro 03, 2012

Tenho de andar mais contigo. Não tomas drogas

Foi assim que a conversa terminou:
- Eu sei que se andar contigo não vou ter recaídas. Quando muito bebemos uma cerveja a mais, mas naquela merda não toco se estiver contigo.
A conversa terminou não tanto pelo facto de ele ter acabado de declarar amizade. Mais pelo facto de eu ter ficado emocionado com a frontalidade e à-vontade com que falou da sua recuperação. Ainda lhe dei um soco no peito, para ver se estava mesmo rijo. Como antigo jogador de andebol que é, com certeza que ainda teria um peito duro. E recebeu a agressão com um grande sorriso:
- Está duro, não está? Eu estou rijo.
Já outra situação parecida me aconteu com outro amigo meu. Em pleno internamento para recuperação, e aproveitando a visita da mãe, diz-lhe:
- Para a próxima trás uma fotografia do Rodrigo.
- E é só do Rodrigo que queres? Não queres dos teus amigos com quem andavas?
- Eles não eram meus amigos. Eram só companheiros. O Rodrigo é que é meu amigo.
Eu olho para 2012 a pensar nestas coisas, ouço o melhor álbum de 2011 (segundo O Rapaz do Cavaquinho) e digo-lhe:
- Podes vir com a fama de que vais ser difícil, mas o meu mundo não acaba enquanto estiveres por cá. Aguentas-te comigo 2012? Olha que tenho muitos amigos.