A Minha Rádio Podcast: Cowboy Cantor

terça-feira, janeiro 30, 2007

De Volta

Preparem-se. Ele vai voltar.
Mais informações no blog irmão Cowboy Cantor

Sim ou Sopinhas

Ainda não decidi o que fazer no dia 11 de Fevereiro. Mas a grande questão é precisamente esta: temos ou não o direito à decisão? Segundo este ponto de vista, até concordo que se deva legalizar o aborto tendo em conta que há sempre gravidezes que podem pôr em risco a vida da mãe, ou que a criança já nasce condenada a morrer alguns dias depois. Aí nesses casos concordo que sim. Deve-se legalizar o aborto. Mas o que eu temo é que o aborto seja liberalizado, até corremos o risco de em vez caminharmos para a legalização, estaremos a promover a libertinagem da prática do aborto.
Até seria capaz de convictamente votar sim, mas a forma como os partidos políticos têm discutido o assunto, tornando esta uma questão partidária, e não ética, como ela é, faz-me ter muitas dúvidas se realmente vou sequer votar.
A luta política que se está a travar pelo resultado do referendo não me agrada, nem torna a questão fácil de debater. Não concordo que um partido faça deste tema a sua bandeira. Deviam sim os políticos que nos governam, os que nos querem governar, mais os que nem sabem o que querem, promover apenas o debate, e não sistematicamente promover encontros e debates onde só se discute um lado da questão.
Não sei o que passou pela cabeça do nosso primeiro ministro ao dizer que se o “Sim” obtiver a maioria dos votos (dos poucos portugueses que vão votar, como se prevê), será uma vitória do partido e da esquerda. Se eu votar sim, e o sim ganhar, não me vou sentir vitorioso. Vou antes me sentir consciente do voto que fiz. Independentemente da minha decisão (sim, não, em branco, nulo, ou abstenção), vou sempre me sentir consciente da minha atitude.
Outra coisa que me deixa perplexo na atitude de alguns quadrantes políticos foi o facto de muitas vozes se insurgirem contra as intervenções que a Igreja Católica tem feito a respeito deste tema. Então a Igreja, que tanto promove os ideais da vida, não haveria de querer participar num debate destes? Não terá ela própria direito a participar? Ninguém, seja o presidente da república, seja a Maria que limpa a retrete do Primeiro Ministro deverá ser deixada de fora neste assunto. Não é um assunto político. É um assunto ético.
Não sei se o “sim” vai ter mais votos no dia 11, mas o melhor é mesmo em caso de não haver maioria de “sim”, começarmos todos os aprender a fazer sopinhas.

sexta-feira, janeiro 26, 2007

O Processo

Caros leitores, caros amigos, caros camaradas, sejam lá quem forem vocês que estão a ler este texto:
Sabem o que vai acontecer com o tão proclamado fantástico processo de Bolonha?
Uma das coisas vai ser que um aluno que tenha começado a sua licenciatura há três anos, ainda sem o processo de Bolonha, no próximo ano lectivo tem de completar o curso. Ou seja, ter cadeiras pedagógicas, e dar algumas aulas. Isto porque daqui a dois anos, nenhum aluno de um curso via ensino poderá estar matriculado num curso que não esteja abrangido pelo processo de Bolonha.
Ou seja, um curso cujo plano de estudos estava programado para cinco anos, chega a meio, e afinal já não tem os cinco, mas apenas quatro. Quem já está no quarto ano, para o ano que vem, vai fazer estágio com os alunos que estão este ano no terceiro. Daqui a dois anos, vão sair da universidade milhares de professores, dos quais metade tiveram cinco anos de curso, e a outra metade teve apenas quatro. Mas não há problema, todos eles estão em igualdade de circunstância. Pelo menos é o que a lei diz.
E mais, de todos estes milhares de professores que vão sair à pressão, alguns têm a vida condenada:
Muitos estão a tirar o curso de Geografia via ensino, no entanto uma mente brilhante lembrou-se que a partir do próximo ano lectivo vai deixar de haver a disciplina de Geografia, e a da História, para passar a haver a disciplina de História e Geografia. Cunfusos? Eu também.
Acabei de falar com a Vitória, que está de rastos, tal como todos os seus colegas de curso. Neste momento os alunos de Geografia da Faculdade de Letras de Lisboa estão a planificar aulas, porque têm uma cadeira em que é preciso planificar um ano inteiro de aulas. Mas se vai deixar de haver a disciplina de Goegrafia, porque raio estão estes futuros licenciados a planificar aulas da disciplina?
Parabéns Maria de Lurdes, perdeste os professores, ganhaste a população, e agora perdes um apoiante. Não vou deixar de ser militante, nem que seja por respeito a quem me ensinou a ser socialista. Apenas quero deixr claro, se é que ainda não perceberam, que desapoio a minha ministra da educação.
São muitas e sucessivas faltas de respeito para com os professores e a função pública em geral.
Enquanto em Espanha agradece-se aos professores pelo que fizeram pelo país, em Portugal, a ministra agradece à população por estar ao lado dela nas atitudes que cada vez mais tornam o ensino uma farsa, e a profissão de professor um castigo por não termos nascido com vocação para outra profissão qualquer.

segunda-feira, janeiro 22, 2007

O Estado


Há o Estado Novo, o Estado de Graça, o Estado Laico, o Estado da Nação, e agora há o Estado A Que Nos Chegámos.

quarta-feira, janeiro 17, 2007

Sou Um Banana

Sou um banana Sou, claro que sou. Sim Sra. Ministra, eu sou um banana. Sr. Secrtário, não tenha dúvidas, eu sou um banana.
Sou um banana porque me deixo envolver demasiado na vida e preocupações dos meus alunos, com o intuito de os querer ajudar, e quando me chateio com eles, ainda me arrisco a ouvir respostas destas, que passo a citar:
- O professor? O professor é um banana.
Fico banana quando um aluno em plena aula comenta:
- Como é, professor? Eu porto-me bem, e sou obrigado a fazer os trabalhos-de-casa, vir às aulas todas e fazer os testes. O M. que se porta mal e não sabe ler, pode faltar às aulas, só tem as disciplinas que quer, e os professores têm de o passar de ano. O professor sabe? Eu vou começar a portar-me mal, para ir para uma turma de oportunidades e passar de ano sempre.
Fico banana, porque não sei explicar aos meus alunos um fenómeno que eu próprio não consigo compreender.

sexta-feira, janeiro 05, 2007

Convite: Corrida dos Reis

Depois do grande sucesso que foi a I Grande Corrida da Maia (Maio de 2006), com mais de 200 participantes, e a presença de Paulo Gomes, do Maratona Clube, está a chegar a I Corrida dos Reis da Maia.
A organização está a cargo do Clube Desportivo Escolar da Maia (C.D.E.M.), e o convite é para toda a gente, de todas as idades. Dos benjamins aos veteranos, clubes e atletas individuais, federados e não federados.
Domingo, 7 de Janeiro, pelas 10:00 horas. Inscrições no local até ao início da prova (mais coisa menos coisa). A concentração dos participantes será em frente à Escola Básica Integrada 2/3 da Maia.
Até lá.