A Minha Rádio Podcast: Cowboy Cantor

quinta-feira, maio 31, 2007

Mais Uma Vez Quase Nada

Mais uma vez a adesão à greve geral convocada para ontem foi uma desilusão. Fiz greve convicto das razões que levaram a que fosse convocada. Não acredito, nunca acreditei, que a greve resolva alguma coisa, mas se esta é a forma indicada pelos sindicatos de lutarmos pelo respeito e pela dignidade para com a função pública, então hei-de aderir à greve sempre que achar que os motivos vão ao encontro do que deve ser uma carreira digna de um funcionário público.
Uma aluna de 9 anos perguntou-me se eu ia fazer greve, e eu respondi que sim:
- Mas porquê, professor? O professor não quer dar aulas amanhã?
- Não é isso, Eunice. Eu estou zangado com o governo.
- Hum, a professora também... É isso mesmo professor, faz greve.

domingo, maio 27, 2007

Almoço Grátis (e pequeno-almoço também) na Maia

Há anos que é assim. Tantos anos, quantos a paróquia da Maia, ou quase.
Segunda-feira, feriado regional, é sinónimo das festas em louvor do padroeiro da paróquia da Maia: O Divino Espírito Santo.
Crentes e não crentes, católicos ou não, ninguém pode ficar de fora das festas da Maia na próxima Segunda-feira. Haverá leite e massa sovada durante a manhã, e depois do cortejo para a bênção dos animais, no adro da igreja montam-se as mesas e quem aparecer tem carne guisada com batatas, e um pão de casa, do melhor que se pode desejar, à disposição para um almoço em comunidade. Espalhados pelos muros, sentados nas escadas, sentados no jardim, o que conta é conviver com a comunidade, e fazer a festa.
No ano passado fomos 3000, houve quem viesse, de propósito, de Santa Maria à Maia para participar no almoço. A ver se este ano somos mais. Não faço a ideia quantas pessoas estiveram envolvidas na organização do almoço, mas sei há sempre muito boa vontade por parte destes lavradores em quererem oferecer o que têm. O pão e a carne são cozidos em casa por senhoras que oferecem o seu trabalho em troco de apenas um obrigado por parte de quem aparece.
Fica o convite para que todos participem nas festas em louvor do Divino Espírito Santo da Maia, o nosso padroeiro.

segunda-feira, maio 21, 2007

O Tempo dos Bufos e das Bufas (ou o país que é uma flatulência na eminência de ser expelida)

Aconteceu num país europeu democrático:
Um professor, dirigente de um sindicato, numa conversa particular com um colega, fez referência, em tom de piada, ao facto do primeiro-ministro daquele país ter uma formação duvidosa. Colega colega foi informar a presidente sindical lá da região. A senhora decidiu instaurar um processo disciplinar ao professor que fez a tal referência à formação do primeiro-ministro, e suspendeu-o imediatamente das funções que ocupava no sindicato.
Em comunicado, a senhora explica que o processo prende-se com o facto de o primeiro-ministro a quem o professor se referia ser o primeiro-ministro de Portugal.
Voltámos ao tempo dos bufos e das bufas. O nosso país europeu e democrático (?) está a tornar-se numa terra de lambe-botas, chulos e informadores. Estamos a voltar ao tempo da P.I.D.E., que felizmente não me lembro, mas segundo o que estudei em história (sim, porque no meu tempo aprendia-se que já tivemos um governo fascista), e segundo o que me contam os meus pais, atitudes destas era no tempo da P.I.D.E. e dos informadores.
Outra deste maravilhoso governo democrático, é a criação de uma comissão para assinalar todos os grevistas da função pública, para mais tarde poderem fazer correctamente as estatísticas. Querem enganar quem? Se num dia avisam que quem fizer greve será penalizado na progressão da carreira, e no outro dia anunciam uma comissão de sinalização dos grevistas, o que pretendem? Na minha terra, e noutras, responde-se assim: Puta que os pariu. Para tirar trabalho à comissão, e a quem esteja interessado: vou fazer greve no dia 30 de Maio, e faço greve as vezes que me apetecer e achar que vale a pena lutar por uma carreira decente, com dignidade e justa.

Cowboy Cantor 21ª Emissão

Esta semana há ingleses, americanos, canadianos e portugueses, e há a honra com que se escolha ganhar ou perder.
Para ouvir no sítio do costume: Cowboy Cantor

terça-feira, maio 15, 2007

Desafio à Navegação Blogger

Um desafio que surgiu cá em casa à hora do jantar.
Falávamos de gramática e da fantástica terminologia linguística para os ensinos básico e secundário (T.L.E.B.S.), que, quase tarde, foi impedida de ser implementada. Palavra puxa palavra, e o meu pai sai-se com esta:
- Sabes qual é a regra para formação do feminino dos substantivos em português?
Claro que não sei. Nem eu, nem ninguém sabe, visto que não há regra. Ao contrário do que somos tentados a responder, troca-se o “O” pelo “A”, não há regra para fazer corresponder um substantivo feminino ao género masculino.
Por exemplo: é certo que pato no feminino é pata. Mas, cavalo no feminino é égua.
O desafio que lanço (e não coloco, porque os desafios não se colocam a ninguém, são lançados ou criados) é que tentem encontrar o máximo de substantivos cujo feminino é só trocar o “O” final pelo “A”. Não vale adjectivos (tonto/tonta; bonito/bonita), nem o substantivo pode perder o seu significado (banco/banca; cavalo/cavala).
Quem passar dos 20 será convidado a vir jantar um dia destes à beira-mar aqui na Maia.