A Minha Rádio Podcast: Cowboy Cantor

domingo, fevereiro 26, 2006

E Depois Ainda Querem Que O Pessoal Leia Jornais

No acesso à informação há vários tipos de cidadãos em Portugal. Obviamente que todos nós sabemos que quem vive em Lisboa tem muito mais privilégios em aceder à informação de imprensa. Não, não vou salientar, como está na moda, imprensa escrita. Se é imprensa, obviamente que é escrita.
Quanto mais longe estivermos da capital, mais difícil se tornará o acesso a revistas, jornais, e outros suportes de informação em papel.
Para além do subsídio de transporte que os leitores açorianos têm de pagar, em agluns casos, estamos sujeitos a uma deficiente distribuição de imprensa nos Açores. Em algumas ilhas os jornais diários só chegam no dia seguinte, quando chegam. Há casos em que até os diários só chegam uma vez por semana, as sete edições da semana todas de uma vez.
Em São Miguel? Bom, dizer que é uma distribuição deficiente é uma forma de elogiar a forma como a imprensa é distribuída por cá.
Nunca percebi, nunca vou perceber, nem vou tentar perceber, até porque sei que ninguém se vai dar ao trabalho de me explicar o porquê de eu apenas poder comprar o Público no dia seguinte à data inscrita no início da primeira página.
Para além do atraso inexplicável num país do século XXI, as condições em que são entregues o material nem sempre são as melhores. Muitas vezes a primeira página vem rota. Noutras vezes o jornal está todo machucado. E em algumas vezes (outra forma simpática de dizer muito frequentemente), os suplementos (revistas, suplementos de cultura, e outros), os quais aumentam o preço da edição a que se referem, não são entregues.
Não sei se a culpa é da distribuidora de São Miguel, ou se é da própria empresa que se encarrega de enviar os jornais para a ilha. O certo é que se houvesse pelo menos mais uma empresa a distribuir jornais e revistas em São Miguel, tenho a certeza que as coisas seriam mais certinhas.
Enfim… há os portugueses do continente, os de São Miguel, os de terceira, e os portugueses da Maia.

sábado, fevereiro 25, 2006

Cowboy Cantor 6

Já está no ar a sexta emissão do Cowboy Cantor.

Visitem a página da Rádio Cowboy Cantor para ouvir esta e outras emissões anteriores.
Transferência directa da sexta emissão aqui.
Transferência para uma leitor da podcasts aqui.

domingo, fevereiro 19, 2006

Excessos de Segurança

Desde o tal dia das gémeas de New York que foram abaixo, que as forças de segurança nunca mais foram as mesmas. Mudou-se todas as regras de segurança por este mundo fora, a ficámos sujeitos a excessos de zelo que por vezes se tornam caricatos – às vezes até ridículos.
Há dias foi preso um cidadão dinamarquês em Espanha, por ter perguntado ao seu companheiro de viagem, antes do avião levantar voo se este se tinha esquecido da bomba. A tripulação ouviu a conversa, e o que era suposto ser uma brincadeira, foi tomado como sendo sério. Num comunicado mais tarde, a própria polícia reconheceu que mesmo são brincadeira, nos dias de hoje não se pode ter este tipo de conversas. O homem está a aguardar julgamento por ter supostamente feito uma ameaça de bomba.
Outro caso insólito, daqueles que figuram na lista de candidatos a ridículo do ano, passou-se nas estradas portuguesas.
Um guarda nacional republicano mandou para um homem por este estar a falar ao telemóvel e a conduzir. Pelo menos foi a razão pela qual o condutor pensou que estava a ser mandado parar. Perante a situação, o condutor sorridente mostrou ao guarda o que tinha na mão. Não era um telemóvel, mas sim um lenço. Qual não é o espanto do civil, quando o guarda explicou que era precisamente por causa disto que estava a ser mandado parar. No entender do guarda, o condutor estava a ter uma condução perigosa, uma vez que estava com uma mão só no volante.

segunda-feira, fevereiro 13, 2006

Cowboy Cantor 5

Já está no ar a 5ª emissão.
Podem ouvir a primeira rádio podcast açoriana aqui:

Rádio Cowboy Cantor: http://cowboycantor.mypodcasts.net/
Transferência directa do ficheiro: http://cowboycantor.realazores.com/mp3/005.mp3
Assinatura Digital do Cowboy Cantor (para se usar com um leitor de pocasts): http://cowboycantor.mypodcasts.net/podcast.php

Regras Sem Excepção

Se há excepções que confirmam as regras, a solução para não haver excepções será não haver regras.

quarta-feira, fevereiro 08, 2006

Notícias da República das Bananas

Não se trata de um texto de intervenção política. Trata-se mesmo de um texto o mais educado possível, para não ter que mandar aquela gentalha da Madeira ir limpar o cu ao javali que dá pelo nome de Alberto João.
Este texto, e toda a minha revolta por causa deste acontecimento descrito em linhas sumárias aqui.


Chamar de fascistas aos deputados do P.S.D. Madeira seria uma falta de respeito para com aqueles que lutaram pela liberdade em Portugal. Isto não é fascismo. É estupidez. Chamar de asnos ou burros, seria uma ofensa aos quadrúpedes com o mesmo nome. Tenho vizinhos com vão para a terra de manhãzinha com burros que, talvez por não pensarem que são donos mundo, não fazem figuras tão tristes como o P.S.D. Madeira.
Não é possível, como dizia o poeta alegre. Não é possível, sonhava ele. A verdade é que é possível, e incomoda-me saber que na Madeira as coisas são assim. Incomoda-me saber que de quatro em quatro anos esta gente ganha as eleições com maioria absoluta, e depois vai para o parlamento chamar nomes ao presidente da república, ao primeiro-ministro, aos deputados da Assembleia da República, a todos os continentais e demais portugueses que não são madeirenses militantes do P.S.D. Madeira.

segunda-feira, fevereiro 06, 2006

Chico Esperto (é de chorar)

Já não me ria assim há muito tempo. Muito mesmo. Talvez desde a última vez que vi um episódio do 3rd Rock From The Sun. Cheguei a casa, abria a caixa correio, e a minha colega de T.U.C.A., embora eu seja um ex-membro, Lena Vasconcelos presenteou os tucanos com uma hilariante apresentação de um papagaio mais esperto do que seria normal.
Transfiram o ficheiro a partir desta ligação Petstar Einstein. São só 333 bytes, o seja à volta de 4 mb.
Se não der a primeira ligação, tentem por aqui.
Não tenham vergonha de se rirem como crianças no circo. É mesmo hilariante, e sabe muito bem acabar um dia assim.

nota: não sei se a ligação está a funcionar bem. Agradecia que alguém me avisasse se conseguiu ver o filme.

sexta-feira, fevereiro 03, 2006

Quarta Emissão Finalmente No Ar

Já está no ar a quarta emissão do Cowboy Cantor.
Podem ouvir a Rádio Cowboy Cantor aqui, ou então através do iTunes, subrscrevendo o podcast usando este endereço http://cowboycantor.mypodcasts.net/podcast.php.

A Garrafa

Foi ontem a dar a minha aula às turmas do Programa Oportunidade, para quem não sabe o que é, em três palavras explica-se o que são os alunos dos programas oportunidades: Não querem nada.
Normalmente diz-se que uma turma seria perfeita se não tivesse aquele, ou outro aluno mais malcomportado. No caso das turmas das oportunidades na Povoação, a história é ao contrário, só escapam 4 entre 18, a nível de comportamento.
A minha estratégia é prestar atenção a quem se interessa pela aula, e quanto aos outros, apenas certificar-me que o seu estado físico no fim da aula seja igual ao do princípio. Não admira portanto, que enquanto eu estou a tirar uma dúvida numa passagem melódica de uma música, ou ensinar melhor um passo de dança, a parte da turma que não está virada para a aula esteja na brincadeira.
Pois ontem estiveram para aí uns 6 ou 7 rapazes a brincar durante a aula toda com uma garrafa de água de plástico. Enquanto estava a ensinar o refrão do tema “My Heart Will Go On”, o grande êxito de flauta de qualquer aluno do ensino básico, lá de vez em quando via a garrafa a passar à minha frente. Outras vezes era a tampa, que voltava à origem com o dobro da velocidade.
O que começou por ser uma garrafa de plático pequena, acabou por ser um pedaço de plástico mais pequeno do que a própria garrafa.
Quando comecei a arrumar a sala para me vir embora, lá levantei o que restava da garrafa e pus no lixo. Peguei na mochila, e só aí apercebi-me que afinal a garrafa era a minha, a qual tinha começado a aula dentro da mochila.