A Minha Rádio Podcast: Cowboy Cantor

terça-feira, outubro 17, 2006

GREVE: Um Pouco de Respeito



Eu até era para fingir que não sei de nada, e afastar-me deles, mas fazendo justiça ao ditado, juntei-me a eles. Bem que poderia tentar vencê-los, e convencê-los de que não valeria a pena, mas a verdade é que antes sequer de tentar vencê-los, juntei-me. Vai daí: estou de GREVE.

Faço greve pela dignidade da carreira de um professor, pelo respeito que tenho pelos meus colegas que vão fazer greve, pelo respeito que tenho pelos meus colegas mais velhos, em final de carreira, que vão fazer greve a favor dos professores que estão em início de carreira. Sobretudo faço greve pelo respeito que tenho pelos direitos que os meus pais, professores em 1974, ajudaram a conquistar pelos professores. Não são luxos o que nos querem tirar. São direitos. Direito à progressão na carreira. Direito à contagem de tempo de serviço. O direito de um professor começar e acabar a carreira com diginidade.

Faço greve contra ministros da educação que entrem e saiem sem nunca terem dado aulas. Faço greve contra uma ministra que sente prazer em dizer que perdeu os professores, mas ganhou os pais dos alunos. Faço greve contra um ministério arrogante, obtuso, quadrado e patético.
Peço desculpa aos pais dos meus alunos que não foram avisados que eu iria fazer greve, e vão acordar os filhos de manhã para poderem estar na escola às 8:30. Peço desculpa aos meus alunos que vão estar na escola às 8:30, e não vão ter aula. Peço desculpa a todos, se é que eu tenho culpa de alguma coisa.

Não avisei atempadamente que iria fazer greve, mas também ninguém me avisou, naquele Domingo de Fevereiro de 2005, que as coisas iriam ser assim.

4 comentários:

Reitor disse...

Concordo que a dignidade da profissão e não da "carreira" está em causa.

Discordo que para se ser ministro tenha de se ser professor.

Concordo, finalmente, que aquele domingo de Fevereiro de 2005 foi aziago.

Joaquim Machado disse...

Apoiado. Além de obtuso e patético, o ministério da Educação é também arrogante. E o primeiro-ministro dá-se ao luxo de alimentar a guerrilha, por interposta pessoa, no caso, a ministra.

(www.cantodailha.blogspot.com)

marta disse...

Olha lá essa coisa de eu estar sempre aqui e você não me responder não está com nada. Faça favor de manter contacto com a sua Cinderela.Ah, já me esquecia, concordo plenamente com o que escreveu...

Maresia disse...

Ao menos eu não durmo com a consciência pesada por ter votado nele!!! Mas há muitos que não conseguem dizer o mesmo... E hoje, como as coisas estão, digo com bastante firmeza : "Ainda bem que o Governo Regional lançou uma lei (estúpida) que dá preferência aos professores formados na Universidade dos Açores, sejam eles açorianos ou não, e deixa de fora os outros Açorianos que, infelizmente passaram 6 anos da sua vida longe do seu mundo e da sua família. Segundo o mesmo o objectivo dessa lei (estúpida) é dar preferência aos professores açorianos". Eu faço parte desse grupo de Açorianos de 2ª categoria que foram esquecidos... Mas hoje digo "Obrigada César, por teres um Secretário de Educação tão mau! É que o teu amigo lá de fora, o tal Sócrates, ainda tem uma pior!"
Hoje ser professor não é nada bom! Graças a estes (Des)governos (Regional e Nacional) estudei 6 anos para ser professora e já nem sequer quero entrar no ensino...

Espero dias melhores para os professores...